Blog

Gestão escolar: como amenizar a crise

Diante de um cenário catastrófico causado pela pandemia, o impacto na área da educação também sofreu consequências. As instituições, geralmente competitivas no mercado, já tinham algo em comum desde sempre: combater a evasão e reformular estratégias para garantir a permanência dos alunos.

Em tempos de coronavírus, essa batalha é muito maior, uma vez que as instituições de ensino tiveram que fechar os portões e se viram obrigadas a planejar alternativas para despertar o interesse do aluno, mesmo que à distância. E é sobre isso que vamos falar agora.

 

Quais são os pontos predominantes?

 

É certo que estamos enfrentando um cenário completamente novo e até mesmo desconhecido, no qual precisamos rapidamente nos adaptar para garantir que os negócios sobrevivam. É aquele ditado: “Temos que dançar conforme a música”. E digo mais: a música de um ritmo que não conhecemos é ainda mais difícil de acompanhar. Mas precisamos.

Na área da educação, a evasão de alunos das instituições já era um assunto delicado e muito comentado, pelo fato dos números de alunos que deixam de estudar serem preocupantes. E na pandemia, infelizmente esse índice se tornou ainda mais atrativo para o abandono.

Com base nessa realidade em que vivemos hoje, é hora de enfatizar ações práticas para combater a evasão de alunos em plena pandemia.

 

E os fatores primordiais para não perder alunos em meio a crise?

 

Um passo-a-passo coerente para garantir uma boa saída, é composta por: definição do problema, mapeamento de informações relevantes, centralização da comunicação, reunião dos funcionários da instituição e definição de estratégias inteligentes.

Com o planejamento e a execução dessas ações, estamos cientes de que o investimento na retenção de alunos é o que devemos aderir. E abaixo, listamos dicas importantes para garantir o sucesso da operação.

 

– Importância de manter o relacionamento.

 

Abrir canais de comunicação de maneira clara e segura podem garantir uma aproximação com os alunos. Mostrar que a instituição se importa e entende o momento, é um fator fundamental. Ademais, garantir que os estudos vão continuar e que os estudantes terão acesso a um atendimento acolhedor, com preparo e qualidade, é um complemento imprescindível para o bom relacionamento.

 

– Participação dos professores e aulas on-line.

 

Os educadores possuem extrema importância neste planejamento. Oferecer aulas de vídeo efetivas, com a mesma importância das apresentadas em sala de aula, é, de fato, necessário. Para isso, é importante elaborar planos de aula com algum entretenimento diferencial, para que o aluno tenha o real interesse em participar dos conteúdos on-line, sem sentir que aquilo seja uma mera obrigação.

Metodologias e acesso a materiais que vão dar todo o suporte necessário para os alunos na plataforma, devem ser cirurgicamente elaborados e manutenidos.

 

– Flexibilização.

 

Entendemos que flexibilizar as políticas de pagamento é algo delicado para a instituição. Porém, é um fator necessário. Devido a pandemia, muitos alunos ou responsáveis ficaram desempregados. Soluções de renegociação podem ser viáveis para ambos os lados em determinadas situações.

 

– Abertura para novas ideias.

 

Novas opiniões para possíveis melhorias são sempre bem-vidas, afinal de contas, nada é concreto e a instabilidade está em todo lugar neste momento delicado. Proporcionar e obter atenção em feedbacks e informações atualizadas, funcionam como um combustível para que o projeto se mantenha vivo.

Fontes:

– Rubeus:

https://rubeus.com.br/blog/combate-evasao-de-alunos-em-tempo-de-coronavirus/

– Wakke:

https://wakke.co/crise-dicas-para-evitar-evasao-de-alunos/

Gestão escolar: como amenizar a crise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *